(61) 3963-4555

Disponível boletim de desempenho do Enem a partir dessa segunda

INEP - Os mais de 2,5 milhões de estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2009 poderão acessar seus boletins de desempenho a partir dessa segunda-feira, 31 de maio. Ao entrarem no sistema, os alunos terão as cinco notas do exame e poderão comparar com a média do Brasil, por faixa e gráficos. As notas são as mesmas publicadas em janeiro deste ano, agora disponibilizadas em PDF. O estudante conseguirá ver seu desempenho para cada área do conhecimento (Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias), mais a redação. Para visualizar o boletim, o aluno precisa ter em mãos o número do CPF e a senha, gerada no momento da inscrição ao Enem no ano passado. Caso o aluno tenha perdido a senha, poderá recuperá-la pelo sistema que gera o boletim. As notas foram calculadas por meio da Teoria de Resposta ao Item, a TRI. A média dos concluintes regulares nas provas objetivas foi de 500 pontos. Para a redação, a média foi de 601,5, em uma escala de 0 a 1000. O critério de correção da redação não foi alterado. O aluno terá acesso ao boletim individual de resultados pela página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/ MEC) a partir de segunda-feira, dia 31. Assessoria de Imprensa do Inep/MEC FONTE:http://www.inep.gov.br/imprensa/noticias/enem/news10_08.htm

Catálogo relaciona dez novos cursos superiores de tecnologia

Portal MEC - O Ministério da Educação lança nesta segunda-feira, 31, uma nova edição do Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia. A publicação inclui dez novos cursos, divididos nos eixos tecnológico-militar (seis cursos), segurança (três) e apoio educacional (um). O catálogo orienta instituições e estudantes sobre o teor e a infraestrutura de cada formação. O lançamento ocorre na abertura do seminário internacional Cursos Superiores de Tecnologia: Educação e o Mundo do Trabalho, que acontece em Brasília nos dias 31 de maio e 1º de junho, com a presença dos ministros da Educação, Fernando Haddad, e da Defesa, Nelson Jobim. As inscrições para o seminário, que reunirá delegações de várias partes do mundo, podem ser feitas no Portal do MEC. Representantes do Uruguai, Argentina, Canadá, França e Chile já confirmaram participação. O seminário, além de permitir a troca de experiências entre países, pretende ampliar a divulgação dos cursos tecnológicos. “Os cursos superiores de tecnologia a cada dia ganham mais espaço no país, que ainda tem uma cultura bacharelesca”, observa Eliezer Pacheco, secretário de educação profissional do MEC. “O debate é propício para aprofundarmos diversas questões e esclarecermos dúvidas sobre essa modalidade de ensino.” Assessoria de imprensa da Setec http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=15506 FONTE:

Conselheiros de sete países discutem futuro da educação

Portal MEC - Quinta-feira, 27 de maio de 2010 - 12:12 Representantes de conselhos nacionais de educação de sete países estão reunidos nesta quinta-feira, 27, em Brasília, para debater o futuro da educação na região iberoamericana. O objetivo do encontro é dar seguimento ao entendimento entre Brasil, Argentina, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Portugal na área educacional. “A educação no nosso continente vive um momento particular; há mais intercâmbio e desejo de cooperação”, disse o ministro da Educação, Fernando Haddad, na abertura do seminário. Na opinião do ministro, os países precisam analisar o potencial ainda inexplorado na área da educação e usá-lo para o desenvolvimento da região. Haddad citou o exemplo da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), recém-criada. “Queremos ajudar a formar intelectuais que pensem na região de maneira integrada”, destacou. A nova universidade, com sede em Foz do Iguaçu (PR), tem proposta acadêmica interdisciplinar e bilíngue. Este ano, serão abertas 300 vagas em seis cursos de graduação para ingresso dos alunos em agosto. Metade das vagas destina-se a brasileiros e as demais, a estudantes de Argentina, Uruguai e Paraguai. A presidente do Conselho Nacional de Educação (CNE) brasileiro, Clélia Brandão, acredita que os conselhos têm o papel de dar continuidade às políticas de governo para que se tornem políticas de Estado. “Também somos responsáveis por elaborar normas educacionais que dêem conta de responder à contemporaneidade para uma formação humanitária do indivíduo”, afirmou. Metas — Para a diretora da Organização dos Estados Iberoamericanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI) no Brasil, Ivana de Siqueira, a reunião desta quinta-feira vai permitir que se conheçam os planos de educação de cada país. Além disso, os conselheiros vão debater o projeto Metas Educativas 2021, proposto pela OEI para estabelecer acordo entre os países sobre a educação voltada para as próximas gerações. Durante o encontro, os participantes também pretendem definir relações institucionais, identificar pautas comuns e discutir oportunidades de intercâmbio de alunos, professores e pesquisadores. Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=15498 Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico

Reitores vão definir metas concretas em encontro

iG - Último Segundo - Marina Morena Costa, enviada a Guadalajara - Evento internacional reúne 1.057 universidades para discutir a educação superior ibero-americana e uma agenda da região Mais de 900 reitores de 1.057 universidades discutirão a partir desta segunda-feira (31), em Guadalajara, no México, formas de criar um espaço ibero-americano de conhecimento socialmente responsável com o desenvolvimento dos países. A comissão organizadora do Segundo Encontro de Reitores Universia afirma que irá criar uma agenda de trabalho com propostas concretas para a criação e o fortalecimento desse espaço acadêmico, de forma que os debates não fiquem apenas na teoria. Segundo Jose Narro, reitor da Universidade Autônoma do México e presidente do Comitê Internacional do Encontro, para fortalecer as relações entre as universidades dos países é preciso gerar conhecimento de forma integrada que reverta em benefício para as sociedades. “Precisamos fortalecer um espaço de educação ibero-americana”, afirmou em coletiva de imprensa realizada em Guadalajara neste domingo. “Por enquanto esse espaço ibero-americano ainda é uma utopia”, disse Jaume Pauges, reitor da Universidade Politécnica da Catalunha. De acordo com o reitor, há elementos concretos em andamento, que darão corpo ao especo, como a participação de universidades de grande porte no Encontro, o esforço para difundir uma agenda universitária, e a construção de revista em espanhol e português. “Publicamos a maioria de nossa produção científica em revistas de língua inglesa, mas já lançamos quatro veículos e nesse encontro lançaremos a quinta”, adiantou Pauges. A abertura do encontro contará com a participação do presidente do México, Felipe Calderón. As 1.057 delegações, compostas por reitores, professores, estudantes e empresários, discutirão o papel da universidade e suas possíveis respostas para as necessidades e demandas da sociedade em plenárias e oficinas na Universidade de Guadalajara, que sedia o evento. Os temas serão abordados em onze mesas que definirão as tarefas a serem desenvolvidas pelas universidades comprometidas com a sociedade e uma missão educativa, científica e empreendedora. Os participantes debaterão sobre como promover a competitividade tendo em vista os valores sociais, como inovar na docência, trabalhar na profissionalização e no reconhecimento social da pesquisa, fomentar a necessária transferência de tecnologia que promova o desenvolvimento em condições de sustentabilidade. Encontro envolverá universidades de cinco continentes, entre as quais se encontram instituições líderes na China, Estados Unidos, Reino Unido e Rússia, que não fazem parte do Universia, mas contribuirão para debater os desafios inerentes aos macroespaços universitários. As universidades são parceiras em outras frentes do Santander Universidades, organizador e patrocinador do evento. Histórico O encontro tem o objetivo de dar continuidade ao simpósio organizado também por Universia em maio de 2005 em Sevilha, que contou com a presença dos reis da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero, presidente do governo espanhol e cerca 400 reitores de 21 países. O evento culminou na denominada Declaração de Sevilha sobre a criação do Espaço Ibero-americano do Conhecimento. Três razões foram preponderantes para que o Conselho Assessor Internacional do Universia, órgão consultivo da rede universitária, decidisse que o segundo encontro seria realizado no México: a importância do sistema universitário mexicano, o segundo centenário dos processos de independência em toda a América Latina, os primeiros cem anos da fundação da Universidade Nacional do México (Unam). * A repórter viajou a convite do Santander Universidades FONTE: http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/reitores+vao+definir+metas+concretas+em+encontro/n1237645331695.html

Inep mudará elaboração do Enade

iG - último segundo - Órgão vai criar banco de questões e deixar com empresas contratadas a aplicação e correção das provas As provas do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) deixarão de ser feitas por empresas privadas. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) decidiu mudar as regras da elaboração das questões, impressão e aplicação dos testes. O órgão vai criar um grande banco de itens – espécie de reserva de questões – para as diferentes áreas. Empresas externas cuidarão da aplicação e correção das provas. As mudanças têm o objetivo de evitar transtornos como os ocorridos no ano passado. O Inep precisou cancelar 54 perguntas das avaliações aplicadas em novembro do ano passado. Do total de cancelamentos, 11 pertenciam à prova de comunicação social. Perguntas malformuladas ou polêmicas por conta do caráter político - que apareceram no Enade – prejudicam a qualidade do exame e é o que os organizadores pretendem evitar centralizando a elaboração dos itens. De acordo com o presidente do Inep, Joaquim José Soares Neto, o objetivo é criar arquivos de questões capazes de produzir diferentes provas em cada uma das avaliações. Aos poucos, as regras foram introduzidas nas outras avaliações. O Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) e a Prova Brasil, por exemplo, já possuíam banco de itens. Neto pretende fazer com que essas reservas cresçam rapidamente, contratando especialistas ao longo do ano para executar a tarefa. Segurança A reserva permitiria que esse tipo de avaliação pudesse ser aplicada mais de uma vez ao ano. Com uma grande quantidade de questões, provas diferentes poderiam ser criadas. No futuro, o candidato poderia agendar a data em que gostaria de fazer o Enem, por exemplo, como se faz com as certificações de línguas estrangeiras. “O Inep está fazendo um grande esforço para aumentar a qualidade das avaliações e tornar os processos mais seguros”, diz Neto. O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) também contribuiu para aumentar essa preocupação com a segurança nas avaliações pelas quais o Inep é responsável. A experiência traumática do vazamento da prova de 2009 levou o órgão a encontrar regras que tornassem o processo menos suscetível a fraudes e falhas. As gráficas que vão imprimir todas as avaliações do órgão a partir de agora – inclusive o Enade – serão contratadas diretamente pelo Inep. A participação dos Correios e Telégrafos na distribuição do material, também considerada uma experiência de sucesso no Enem 2009, se tornará praxe em todos os processos de avaliação e certificação. Em anos ímpares, 12 milhões de provas vão circular pelo País. Antes da aplicação do Enade no ano passado, o Inep passou por mais dúvidas no processo de transporte. Houve suspeitas de vazamento no trajeto do material nos estados do Rio de Janeiro e da Paraíba. Na nova arquitetura do Inep, o órgão só terá de contratar reforço para aplicar as provas na data marcada e corrigi-las. Segundo Neto, os arranjos legais para organizar as novas configurações já foram estudados. As portarias que regulamentam as modificações e divulgam as datas das licitações das empresas que participarão no Enade serão publicadas no Diário Oficial da União nos próximos dias. Priscilla Borges, iG Brasília Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/inep+mudara+elaboracao+do+enade/n1237636586246.html

Conheça o trabalho de um especialista em Direito Educacional

TV JUSTIÇA - CARREIRAS - O Direito Educacional é o conjunto de normas, princípios, leis e regulamentos que trata das relações de alunos, professores, administradores, especialistas e técnicos envolvidos no processo ensino-aprendizagem. O entrevistado desta semana é o professor Gustavo Fagundes, advogado especialista em Direito Educacional. Ele conta as peculiaridades do ramo considerado novo na área jurídica e fala sobre os campos de atuação. "O primeiro é o campo judicial propriamente dito, a advocacia tradicional, tanto atendendo instituições de ensino com problemas jurídicos do dia a dia, como aos alunos que vêm nos procurar com dúvidas se aquela relação com a faculdade, o colégio, está dentro dos padrões de qualidade, das regras legais. E o outro lado que a gente atua é o administrativo, dentro da própria instituição de ensino", explica Fagundes. A estudante de direito Nayara Glycia participou dessa conversa e descobriu os desafios dos profissionais que usam o direito educacional como forma de transformar os métodos de ensino usados atualmente. "Hoje, o que a gente busca é que o aluno tenha o conhecimento significativo, que aquilo que ele aprende tenha um significado prático para ele. O professor tem que, principalmente, trazer o aluno para ser o agente do próprio desenvolvimento. Esse é o grande desafio da educação moderna", conta o professor. A jornalista Neila Medeiros conversa com o entrevistado sobre os livros que servem de referência para o Direito Educacional brasileiro. Uma das obras indicadas é "LDB Anotada e Comentada" de co-autoria do entrevistado em parceria com o professor Celso da Costa Fanches. O livro Direito Educacional Brasileiro, de Nelson Joaquim, também é citado como uma das publicações importantes no panorama jurídico-educacional. O Carreiras mostra ainda a importância da assessoria pedagógica no trabalho diário do profissional que deseja seguir nesse ramo. Uma curiosidade: esta edição ganhou uma trilha sonora inusitada, vinda direto do arquivo pessoal do professor Gustavo, um apaixonado por heavy metal. Exibições: Quinta - 18h Sexta - 13h30 Sábado - 22h Segunda - 22h30 FONTE: http://www.tvjustica.jus.br/destaques.php?id_notas=5737

Educação profissional aumenta chances de emprego

iG - último segundo - Pesquisa aponta que jovens com cursos profissionalizantes ganham mais e têm mais chance de carteira assinada Um estudo inédito realizado pelo Centro de Estudos de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com o Instituto Votorantim analisou os impactos da educação profissional no mercado de trabalho. Os resultados são animadores: a chance de uma pessoa com curso profissionalizante concluído estar ocupada é 48,2% maior do que quem tem até o ensino médio. A possibilidade de estar empregado com carteira assinada chega a 38% e os salários podem ser até 13% maiores. A pesquisa “Educação Profissional e Você no Mercado de Trabalho” cruzou microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) e da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), ambas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foram analisadas pessoas que realizaram cursos de qualificação profissional (profissionalizantes), ensino médio técnico e graduação tecnológica. Nos últimos seis anos, os profissionais de nível técnico cresceram 75,6%, e hoje somam 29 milhões de pessoas. “A quantidade de cursos profissionalizantes avançou significativamente, sem que perdêssemos a qualidade dos cursos”, destaca Marcelo Neri, coordenador do estudo. Entre as pessoas que frequentaram cursos de educação profissional, a imensa maioria realizou a qualificação profissional, 23,5 milhões. Em segundo lugar aparecem os profissionais formados no ensino médio técnico, 5,1 milhões, e em menor representatividade estão os graduados em cursos superiores técnicos, 160 mil. Salários A pesquisa apontou os Estados, capitais e periferias urbanas onde os profissionais de nível técnico são mais bem pagos. O Distrito Federal lidera a lista dos Estados com um salário médio de R$ 1.403, seguido por Santa Catarina, com uma média mensal de R$ 1.037 e São Paulo (R$ 1.004). Vitória (ES) é a capital que melhor remunera os profissionais técnicos com R$ 1.724 de salário médio, seguida por Florianópolis (SC) com a remuneração mensal média de R$ R$ 1419 e por Brasília com R$ 1.403. “Os jovens precisam de conscientizar que os retornos em educação são altíssimos”, afirma o coordenador do estudo. Negri destaca que famílias com histórico baixo de educação tendem a ter filhos com níveis igualmente precários. “A revolução da educação está nas casas e não nas escolas. Os jovens têm que ser conquistados para a ideia de que vale a pena estudar. Precisam saber que a educação formal é fundamental e a profissional é um ‘up grade’ em suas vidas.” Setores A indústria automobilística lidera o ranking dos setores que mais empregam profissionais de nível técnico, com 45,7% dos trabalhadores. “Isso destaca a tradição das empresas e que o setor está aquecido”, aponta Neri. Em segundo lugar aparece o setor de Finanças com 38,17% de profissionais técnicos. O agronegócio aparece em último no ranking, na 16ª posição. De acordo com Nigri isso acontece devido às características do setor, que oferece poucas vagas e ainda um nível de qualificação baixo. Marina Morena Costa, iG São Paulo FONTE: http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/educacao+profissional+aumenta+chances+de+emprego/n1237636232474.html