(61) 3963-4555

Ministro quer 10 milhões de universitários no País

iG Brasília - Haddad defende meta para a próxima década. Ele acredita que cursos superiores de tecnologia ajudarão a alcançá-la O ministro da Educação, Fernando Haddad, acredita que a meta de universitários do Brasil na próxima década deve ser de 10 milhões. A afirmação foi feita durante abertura do seminário internacional Cursos Superiores de Tecnologia: Educação e o Mundo do Trabalho, que termina nesta terça-feira em Brasília. “É necessário que pelo menos 50% dos jovens entre 18 e 24 anos cursem a educação superior”, ressaltou. Hoje, 5,8 milhões de estudantes estão matriculados nas instituições de ensino superior em 25 mil cursos. Segundo ele, a tendência é que, nos próximos anos, a oferta de cursos superiores de tecnologia e na modalidade a distância aumente e, com isso, seja mais fácil alcançar a meta. “Estamos criando um paradigma de qualidade com a Universidade Aberta do Brasil e com os institutos federais de educação, ciência e tecnologia”, salientou. De acordo com o Censo da Educação Superior de 2008, há 5.080.056 matrículas na graduação presencial (412.027 em cursos de tecnologia) e 727.961 na educação a distância. Os cursos presenciais chegam a 24.719 (4.355 de tecnologia) e os da educação a distância, 647. Haddad também lembrou que tramita no Congresso Nacional projeto de lei que regulamenta a profissão de tecnólogo. Ele acredita que a regulamentação aumentará a procura de cursos superiores de tecnologia. “Nosso esforço, hoje, é para dar mais visibilidade a esse tipo de curso. Em alguns países desenvolvidos, os cursos de tecnologia respondem por mais de 50% da oferta no nível superior”, disse. O seminário, que tem a presença de representantes de países como Uruguai, Argentina, Canadá, França e Chile, mostra experiências internacionais na área e vai apresentar propostas para o setor. Mais cursos Na abertura do encontro, uma nova edição do Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia, que traz dez novos cursos, foi lançada. São seis no eixo tecnológico-militar, três no de segurança e um no de apoio educacional. O catálogo orienta instituições e estudantes sobre o conteúdo estudado em cada área e a infraestrutura de cada curso. O secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Eliezer Pacheco, ressaltou que os cursos de tecnologia são os que mais crescem no país. Nos últimos oito anos, aumentaram em 300%. Hoje, representam 17% do total da oferta na educação superior brasileira. “Isso coincide com um momento especial no país: aumentou a oferta de emprego, o nível de crescimento econômico e a falta de mão de obra qualificada em inúmeras profissões”, destacou. “Com a formação qualificada de novos profissionais, logo daremos conta de suprir essa demanda.” * Com informações do Ministério da Educação FONTE: http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/ministro+quer+10+milhoes+de+universitarios+no+pais/n1237649945423.html

Banco destinará 600 mi de euros a universidades

iG - Último Segundo - Presidente do Santander anuncia financiamento de projetos universitários da comunidade ibero-americana O banco Santander anunciou nesta segunda-feira que destinará nos próximos cinco anos 600 milhões de euros para financiar projetos universitários, convênios de colaboração com universidades e ao Universia, rede de instituições de ensino mantida pelo banco. O anúncio foi realizado por Emilio Botín, presidente do Santader mundial e da rede de universidades, durante discurso na abertura do II Encontro de Reitores Universia, realizado hoje e amanhã em Guadalajara, no México Nos último 5 anos, Botín afirma que a instituição bancária destinou 375 milhões de euros para apoiar projetos universitários em países dos quatro continentes. O compromisso foi anunciado diante de uma grande plateia e uma mesa composta por reitores, coordenadores do evento, e pelo presidente do México, Felipe Calderón. “Confio de que daqui, dos debates destes dias, surjam não somente idéias, mas também compromissos e iniciativas, que nos façam dar um salto qualitativo neste grande projeto de modernizar e engrandecer nossas universidades”, afirmou o presidente do banco e do Universia. Calderón destacou a necessidade de fortalecer a universidade ibero-americana e seu papel como “expressão comunitária da sociedade”. O presidente disse estar preocupado com a falta de vagas no ensino superior. “A taxa de cobertura é preocupante. Em 2003 era de 25% entre os jovens de 18 a 23 anos, e hoje atinge 29% desta população”, declarou Calderón. A meta do governo mexicano é ultrapassar os 30% nos próximos três anos. O presidente mexicano ressaltou a importância da expansão da rede pública e privada de universidades no país. “Educação, tecnologia e conhecimentos são necessários para a previsão e prevenção de catástrofes”, enfatizou. De acordo com Calderón, em seu governo foram entregues 75 novas instituições de ensino superior e inaugurados 33 campus de universidades já existentes. Marina Morena Costa, enviada a Guadalajara - * A repórter viajou a convite do Santander FONTE: http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/banco+destinara+600+mi+de+euros+a+universidades/n1237647865092.html

Reitores vão definir metas concretas em encontro

iG - Último Segundo - Marina Morena Costa, enviada a Guadalajara - Evento internacional reúne 1.057 universidades para discutir a educação superior ibero-americana e uma agenda da região Mais de 900 reitores de 1.057 universidades discutirão a partir desta segunda-feira (31), em Guadalajara, no México, formas de criar um espaço ibero-americano de conhecimento socialmente responsável com o desenvolvimento dos países. A comissão organizadora do Segundo Encontro de Reitores Universia afirma que irá criar uma agenda de trabalho com propostas concretas para a criação e o fortalecimento desse espaço acadêmico, de forma que os debates não fiquem apenas na teoria. Segundo Jose Narro, reitor da Universidade Autônoma do México e presidente do Comitê Internacional do Encontro, para fortalecer as relações entre as universidades dos países é preciso gerar conhecimento de forma integrada que reverta em benefício para as sociedades. “Precisamos fortalecer um espaço de educação ibero-americana”, afirmou em coletiva de imprensa realizada em Guadalajara neste domingo. “Por enquanto esse espaço ibero-americano ainda é uma utopia”, disse Jaume Pauges, reitor da Universidade Politécnica da Catalunha. De acordo com o reitor, há elementos concretos em andamento, que darão corpo ao especo, como a participação de universidades de grande porte no Encontro, o esforço para difundir uma agenda universitária, e a construção de revista em espanhol e português. “Publicamos a maioria de nossa produção científica em revistas de língua inglesa, mas já lançamos quatro veículos e nesse encontro lançaremos a quinta”, adiantou Pauges. A abertura do encontro contará com a participação do presidente do México, Felipe Calderón. As 1.057 delegações, compostas por reitores, professores, estudantes e empresários, discutirão o papel da universidade e suas possíveis respostas para as necessidades e demandas da sociedade em plenárias e oficinas na Universidade de Guadalajara, que sedia o evento. Os temas serão abordados em onze mesas que definirão as tarefas a serem desenvolvidas pelas universidades comprometidas com a sociedade e uma missão educativa, científica e empreendedora. Os participantes debaterão sobre como promover a competitividade tendo em vista os valores sociais, como inovar na docência, trabalhar na profissionalização e no reconhecimento social da pesquisa, fomentar a necessária transferência de tecnologia que promova o desenvolvimento em condições de sustentabilidade. Encontro envolverá universidades de cinco continentes, entre as quais se encontram instituições líderes na China, Estados Unidos, Reino Unido e Rússia, que não fazem parte do Universia, mas contribuirão para debater os desafios inerentes aos macroespaços universitários. As universidades são parceiras em outras frentes do Santander Universidades, organizador e patrocinador do evento. Histórico O encontro tem o objetivo de dar continuidade ao simpósio organizado também por Universia em maio de 2005 em Sevilha, que contou com a presença dos reis da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero, presidente do governo espanhol e cerca 400 reitores de 21 países. O evento culminou na denominada Declaração de Sevilha sobre a criação do Espaço Ibero-americano do Conhecimento. Três razões foram preponderantes para que o Conselho Assessor Internacional do Universia, órgão consultivo da rede universitária, decidisse que o segundo encontro seria realizado no México: a importância do sistema universitário mexicano, o segundo centenário dos processos de independência em toda a América Latina, os primeiros cem anos da fundação da Universidade Nacional do México (Unam). * A repórter viajou a convite do Santander Universidades FONTE: http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/reitores+vao+definir+metas+concretas+em+encontro/n1237645331695.html

Disponível boletim de desempenho do Enem a partir dessa segunda

INEP - Os mais de 2,5 milhões de estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2009 poderão acessar seus boletins de desempenho a partir dessa segunda-feira, 31 de maio. Ao entrarem no sistema, os alunos terão as cinco notas do exame e poderão comparar com a média do Brasil, por faixa e gráficos. As notas são as mesmas publicadas em janeiro deste ano, agora disponibilizadas em PDF. O estudante conseguirá ver seu desempenho para cada área do conhecimento (Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias), mais a redação. Para visualizar o boletim, o aluno precisa ter em mãos o número do CPF e a senha, gerada no momento da inscrição ao Enem no ano passado. Caso o aluno tenha perdido a senha, poderá recuperá-la pelo sistema que gera o boletim. As notas foram calculadas por meio da Teoria de Resposta ao Item, a TRI. A média dos concluintes regulares nas provas objetivas foi de 500 pontos. Para a redação, a média foi de 601,5, em uma escala de 0 a 1000. O critério de correção da redação não foi alterado. O aluno terá acesso ao boletim individual de resultados pela página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/ MEC) a partir de segunda-feira, dia 31. Assessoria de Imprensa do Inep/MEC FONTE:http://www.inep.gov.br/imprensa/noticias/enem/news10_08.htm

Conheça o trabalho de um especialista em Direito Educacional

TV JUSTIÇA - CARREIRAS - O Direito Educacional é o conjunto de normas, princípios, leis e regulamentos que trata das relações de alunos, professores, administradores, especialistas e técnicos envolvidos no processo ensino-aprendizagem. O entrevistado desta semana é o professor Gustavo Fagundes, advogado especialista em Direito Educacional. Ele conta as peculiaridades do ramo considerado novo na área jurídica e fala sobre os campos de atuação. "O primeiro é o campo judicial propriamente dito, a advocacia tradicional, tanto atendendo instituições de ensino com problemas jurídicos do dia a dia, como aos alunos que vêm nos procurar com dúvidas se aquela relação com a faculdade, o colégio, está dentro dos padrões de qualidade, das regras legais. E o outro lado que a gente atua é o administrativo, dentro da própria instituição de ensino", explica Fagundes. A estudante de direito Nayara Glycia participou dessa conversa e descobriu os desafios dos profissionais que usam o direito educacional como forma de transformar os métodos de ensino usados atualmente. "Hoje, o que a gente busca é que o aluno tenha o conhecimento significativo, que aquilo que ele aprende tenha um significado prático para ele. O professor tem que, principalmente, trazer o aluno para ser o agente do próprio desenvolvimento. Esse é o grande desafio da educação moderna", conta o professor. A jornalista Neila Medeiros conversa com o entrevistado sobre os livros que servem de referência para o Direito Educacional brasileiro. Uma das obras indicadas é "LDB Anotada e Comentada" de co-autoria do entrevistado em parceria com o professor Celso da Costa Fanches. O livro Direito Educacional Brasileiro, de Nelson Joaquim, também é citado como uma das publicações importantes no panorama jurídico-educacional. O Carreiras mostra ainda a importância da assessoria pedagógica no trabalho diário do profissional que deseja seguir nesse ramo. Uma curiosidade: esta edição ganhou uma trilha sonora inusitada, vinda direto do arquivo pessoal do professor Gustavo, um apaixonado por heavy metal. Exibições: Quinta - 18h Sexta - 13h30 Sábado - 22h Segunda - 22h30 FONTE: http://www.tvjustica.jus.br/destaques.php?id_notas=5737

Catálogo relaciona dez novos cursos superiores de tecnologia

Portal MEC - O Ministério da Educação lança nesta segunda-feira, 31, uma nova edição do Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia. A publicação inclui dez novos cursos, divididos nos eixos tecnológico-militar (seis cursos), segurança (três) e apoio educacional (um). O catálogo orienta instituições e estudantes sobre o teor e a infraestrutura de cada formação. O lançamento ocorre na abertura do seminário internacional Cursos Superiores de Tecnologia: Educação e o Mundo do Trabalho, que acontece em Brasília nos dias 31 de maio e 1º de junho, com a presença dos ministros da Educação, Fernando Haddad, e da Defesa, Nelson Jobim. As inscrições para o seminário, que reunirá delegações de várias partes do mundo, podem ser feitas no Portal do MEC. Representantes do Uruguai, Argentina, Canadá, França e Chile já confirmaram participação. O seminário, além de permitir a troca de experiências entre países, pretende ampliar a divulgação dos cursos tecnológicos. “Os cursos superiores de tecnologia a cada dia ganham mais espaço no país, que ainda tem uma cultura bacharelesca”, observa Eliezer Pacheco, secretário de educação profissional do MEC. “O debate é propício para aprofundarmos diversas questões e esclarecermos dúvidas sobre essa modalidade de ensino.” Assessoria de imprensa da Setec http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=15506 FONTE:

Conselheiros de sete países discutem futuro da educação

Portal MEC - Quinta-feira, 27 de maio de 2010 - 12:12 Representantes de conselhos nacionais de educação de sete países estão reunidos nesta quinta-feira, 27, em Brasília, para debater o futuro da educação na região iberoamericana. O objetivo do encontro é dar seguimento ao entendimento entre Brasil, Argentina, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Portugal na área educacional. “A educação no nosso continente vive um momento particular; há mais intercâmbio e desejo de cooperação”, disse o ministro da Educação, Fernando Haddad, na abertura do seminário. Na opinião do ministro, os países precisam analisar o potencial ainda inexplorado na área da educação e usá-lo para o desenvolvimento da região. Haddad citou o exemplo da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), recém-criada. “Queremos ajudar a formar intelectuais que pensem na região de maneira integrada”, destacou. A nova universidade, com sede em Foz do Iguaçu (PR), tem proposta acadêmica interdisciplinar e bilíngue. Este ano, serão abertas 300 vagas em seis cursos de graduação para ingresso dos alunos em agosto. Metade das vagas destina-se a brasileiros e as demais, a estudantes de Argentina, Uruguai e Paraguai. A presidente do Conselho Nacional de Educação (CNE) brasileiro, Clélia Brandão, acredita que os conselhos têm o papel de dar continuidade às políticas de governo para que se tornem políticas de Estado. “Também somos responsáveis por elaborar normas educacionais que dêem conta de responder à contemporaneidade para uma formação humanitária do indivíduo”, afirmou. Metas — Para a diretora da Organização dos Estados Iberoamericanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI) no Brasil, Ivana de Siqueira, a reunião desta quinta-feira vai permitir que se conheçam os planos de educação de cada país. Além disso, os conselheiros vão debater o projeto Metas Educativas 2021, proposto pela OEI para estabelecer acordo entre os países sobre a educação voltada para as próximas gerações. Durante o encontro, os participantes também pretendem definir relações institucionais, identificar pautas comuns e discutir oportunidades de intercâmbio de alunos, professores e pesquisadores. Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=15498 Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico